Vanessa Mazza


1

9 crenças silenciosas que nos fazem engordar

Vanessa Mazza 20 de fevereiro de 2015

Nós não engordamos apenas porque comemos mais do que gastamos ou devido a doenças/genética. Existem também comportamentos sociais que contribuem para que não consigamos emagrecer, mesmo nos esforçando.

1. Se me foi oferecido, tenho que aceitar

Existe um sentimento de culpa que nos impele a não recusar alimentos que nos são oferecidos. Seja porque não queremos ser desagradáveis, seja porque pensamos que é nossa obrigação aceitar para que não haja desperdício. Porém, nosso primeiro dever é conosco e dá para recusar um alimento de forma educada ou encontrar uma solução proveitosa se agirmos com boa vontade e confiança. Afinal, você pode guardar para mais tarde ou ainda dar para alguém, caso seu anfitrião seja daqueles que não respeitam a vontade alheia e ficam insistindo sem parar.

2. Se não comer agora, não terá depois

Esta é outra crença que nos engorda, a sensação de que se não aproveitarmos aquele momento, aquela comida desaparecerá. Então, se de noite houver pizza (pedida por seus familiares ou amigos), e você já não pode comer mais ou não está com fome, você fica inclinado a extrapolar para poder participar daquele momento. Porém, você poderia muito bem comer no dia seguinte de café da manhã ou ainda pedir em outro dia quando realmente estivesse com vontade e fome.

3. Não posso ficar sem comer

Quem engorda tem medo de passar fome e está sempre se planejando com antecedência, acumulando comida na bolsa e nas gavetas ou traçando cardápios de um dia para o outro. Nisso, acaba nem se permitindo sentir o desconforto natural do estômago, pois antes mesmo de precisar de alimento, o ingere por garantia. Como quem come emocionalmente o faz para se anestesiar, seria interessante aprender a sentir fome, para se conectar mais ao próprio corpo. Não digo para que se faça jejum, apenas para que se consiga lidar bem com alguns inconvenientes, como uma reunião que passa pela hora do almoço, ou aquele dia que não dá tempo de jantar, antes de sair para algum compromisso. Ninguém vai morrer se ficar 4 horas sem comer.

4. Encontros sem comida são ruins

Temos também a prática de celebrar tudo com comida, então encontro entre familiares e amigos, saídas românticas precisam necessariamente envolver alimentação de alguma forma (churrascos, almoços, jantares, piqueniques). O problema é que isso limita um pouco nossa gama de experiências. As pessoas poderiam se divertir  passeando, fazendo exercícios, indo às compras, assistindo filmes, lendo livros, jogando, vendo palestras, circulando por um parque ou uma livraria. Tente intercalar, portanto, seus encontros com atividades cuja comida não seja o foco central.

5. Não dá para comemorar sem comer

Isto tem a ver um pouco com que está escrito no item anterior. Só que desta vez se refere às comemorações, como um novo emprego, aprovação em concurso ou vestibular, um pedido de casamento, o sucesso de um projeto, etc. O mais interessante é quando comemoramos com comida o peso perdido! Não existe problema em comemorar com comida desde que isso não seja a única forma de mostrarmos contentamento.

7. Se a comida é gostosa, tenho que repetir

Mesmo já estando satisfeitos, podemos repetir apenas para sentir novamente o sabor daquele alimento. Porém, isso geralmente acontece quando comemos rápido demais. Assim, basta comer mais devagar da primeira vez para que dê tempo de você sentir todo prazer daquele alimento a ponto de não precisar repetir.

8. Sobremesa é obrigatória

Este é um costume que alguém instituiu no passado e que seguimos cegamente, nos condicionamos a comer um doce após o almoço, mesmo que não estejamos com fome ou com vontade. Não tem problema em comer doces, mas o mais correto é degustá-lo sozinho bem antes do almoço ou bem depois. Então, se tiver vontade, faça do doce seu lanche. Melhor do que sobrecarregar seu organismo com uma sobremesa que ele demorará muito para digerir.

9. Se tiver várias opções, tenho que pegar um pedaço de todas

Isso acontece quando estamos em festas, brunchs ou restaurantes por quilo. Tudo parece apetitoso e temos que provar cada opção. Até aí, não há muito erro desde que você só coma uma vez, numa pequena porção, e que escolha o que realmente gosta, pois, apenas porque está ali, pegamos de tudo, inclusive coisas nas quais nem temos tanto interesse.

Tags deste artigo: , ,

Comments (1)

  1. Pingback: Resumo de Janeiro e Fevereiro

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!