Vanessa Mazza


0

O relacionamento que nunca termina

Vanessa Mazza 12 de março de 2014

É comum que me encontre com pessoas que estão separadas de seus namorados, noivos, maridos há anos, mas continuam mantendo contato frequente, mesmo que só por telefone ou internet. Não que eu considere propriamente errado que se possa ser amigo de seu ex, se isto for saudável. O problema é quando esta ligação revela uma grande dificuldade em continuar em frente, como se você aceitasse viver “um relacionamento pela metade” apenas por medo de começar um novo e sofrer.

Este tipo de situação geralmente acontece com pessoas que não conseguem ser felizes juntas, embora se amem. Então, quando a separação se torna inevitável, elas se afastam fisicamente, mas não emocionalmente. Assim, mesmo não se encontrando mais, nem se tocando ou morando sob o mesmo teto, elas permanecem fazendo favores, intrometendo-se na vida uma da outra, se preocupando com o que uma deixa ou não de fazer ou simplesmente acompanhando ao longe o dia a dia da outra.

Os malefícios desse tipo de relação é que você quer permanecer fazendo o que um parceiro faz, sem no entanto ser de fato companheiro daquela pessoa. Ou seja, você quer ter os benefícios (receber carinho, atenção, apoio, ajuda), sem assumir as responsabilidades (estar presente, dividir contas, tomar grandes decisões). Portanto, imagine que confusão isso não causa na sua mente, na da outra pessoa e nos futuros pretendentes que possam se interessar por vocês? Afinal, como que novas pessoas poderão entrar neste clube fechado? E, entrando, como irão concorrer com alguém que tem muito mais intimidade que elas? Não é raro que o novo(a) namorado(a) seja deixado(a) de lado quando um problema acontece, já que a tendência mais forte é que a pessoa busque seu ex para se confidenciar ou buscar aconselhamento.

Do ponto de vista energético, se manter ligado(a) ao ex não permite que você encerre o relacionamento, fazendo com que a separação não tenha nenhum sentido, além de mostrar egoísmo e apego da sua parte, pois, se você não quer mais viver com aquela pessoa, porque a mantém próxima, “na mão”, como se fosse uma garantia? Por que a enche de esperanças de um futuro retorno apenas porque você tem medo de acabar sozinho(a)?

É preciso libertar-se e também ao outro, se se deseja de fato ser feliz. Distanciar-se não significa desistir ou abandonar, mas permitir que o novo possa surgir. O que quero dizer é que deixar seu ex livre não impede que vocês possam ter uma nova chance no futuro. Até porque é a distância real que fará com que cada um trabalhe seus problemas emocionais e se tornem pessoas melhores para uma segunda tentativa ou para um novo amor.

Desse modo, manter o ex próximo apenas por medo não os ajudará a ter este impulso para a renovação. Vocês simplesmente continuarão sendo as mesmas pessoas e mantendo velhos hábitos, correndo o sério risco de ficarem estagnados. Então, se o objetivo da separação era avançar e evoluir, ficar vivendo a mesma vida não parece muito inteligente.

Vanessa Taro

Se encontra numa dessas situações? Veja como se consultar – http://vanessamazza.com.br/2012/10/07/consultas-on-line-e-presencial/

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!