Vanessa Mazza


0

Vinganças veladas

Vanessa Mazza 19 de fevereiro de 2014

Geralmente identificamos como vingança algo dramático, cruel ou grandioso, envolvendo morte ou desgraças múltiplas. Apesar disso, a vingança pode ser categorizada como qualquer ato de revide, mesmo que aconteça apenas em nossa mente. Em outras palavras, toda vez que desejamos o mal a alguém porque nos sentimos atingidos ou prejudicados de alguma maneira, isso pode ser chamado de vingança.

Porém, nós não costumamos enxergar dessa forma. Acreditamos que estamos embuídos apenas de um sentimento puro de justiça. Entretanto, não é exatamente isso o que pensam todos os vingadores? Que estão executando a justiça?

Assim, tanto faz se você apenas mandou fulano para “aquele lugar” ou imaginou como seria bom se fulana soubesse “o que é bom para tosse”. O fato é que ao desejar o mal a outrem, você não elimina a causa que gerou o inconveniente para você em primeiro lugar. Quer um exemplo?

Vamos supor que uma pessoa esteja em seu trabalho, se esforçando muito para conseguir uma promoção e alguém vai lá e, por qualquer motivo, consegue antes dela. Ao invés de investigar os motivos, se perguntando, entre outras possibilidades: será que essa pessoa tem uma qualidade que eu ainda não desenvolvi?, ela logo deseja que quem pegou sua promoção não consiga ser bem-sucedida. Afinal, na mente de nossa personagem central, o fracasso do outro abre espaço para seu sucesso, mas não é assim que as coisas funcionam na prática.

A pessoa que não conseguiu a promoção já estava negativa antes de perder a promoção, seja porque não confiava totalmente na sua capacidade, seja porque algo a bloqueava na hora de obter total realização profissional. Seja o que for, se ela estivesse positiva, ela teria usado a promoção do outro para encontrar uma forma de aprender e se superar, ou melhor, teria conseguido a promoção logo de cara. Entretanto, como ela apenas desejou o mal ao outro, para que as coisas funcionassem para si, com atitude passiva, então, além de não resolver a base do problema, ou seja, conseguir a promoção por si mesma, ela ainda vai atrair, em curto ou longo prazo, um carma negativo, já que o que jogamos para o Universo inevitavelmente volta para nós.

E o que pode acontecer a quem deseja fracasso ao outro? Exatamente! Fracasso para si mesmo.

Desse modo, tome bastante cuidado com a vingança velada, essa que acontece todos os dias e que direcionamos a amantes, familiares, amigos, colegas de trabalho e até a desconhecidos. Julgar e criticar os outros sempre abre portas para que nós também o sejamos e com muita severidade. Se queremos ser compreendidos, consolados, apoiados, devemos mostrar o mesmo espírito para as pessoas com as quais convivemos.

Agora, se no meio disso alguém lhe prejudicar de verdade, entenda o que aconteceu, corrija o erro, afaste-se se for possível, acione a polícia, se necessário, mas não deseje o mal. Do mesmo modo que você recebe aquilo que planta, a pessoa que tiver lhe prejudicado também vai receber e isso não precisa vir diretamente da sua mão.

A seguir, veja algumas expressões de vingança que repetimos sem perceber e que é bom evitar:

  • O mundo dá voltas;
  • Ele/ela vai ver só;
  • Ele/ ela não está na minha pele para saber (querendo dizer que você deseja que estivesse);
  • Ele vai pagar o pão que amassou;
  • Quero só ver como ele/ela vai se safar dessa;
  • Tomara que morra do mesmo jeito;
  • Tomara que seja estuprado na cadeia;
  • Que a velhice seja impiedosa com ele/ela;
  • Quero ver quando fulano(a) tiver filhos;
  • Aqui se faz, aqui se paga;
  • Deus está vendo;
  • Nem todo mundo será legal como eu;
  • Depois de tudo o que fiz, quero ver o que fará quando eu me negar a ajudar.

1149_4450561996624_623269796_n

Precisando de um conselho das cartas? Veja como aqui

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!