Vanessa Mazza


0

Como se tornar um ser humano melhor

Vanessa Mazza 30 de maio de 2013

Muitas vezes cobramos tanto dos outros para que sejam pessoas melhores, mais decididas, amigas e respeitosas, que esquecemos que nós também falhamos em muitos graus. Assim, bolei uma lista de algumas coisas que fazemos muito e que, com certeza, nos torna mais “feios” emocionalmente e espiritualmente.

  • Reclamação: Quem não reclama nesta vida? Todos nós! O problema é quando este comportamento vira um ato contínuo. Ou seja, se repete diariamente e dele nada se extrai de bom. Afinal, qual é a utilidade de reclamar senão a de melhorar serviços, comportamentos, meio-ambientes? A partir do momento que só se reclama por reclamar, para se ter assunto ou fazer parte de um grupo, os resultados que conquistamos é uma sociedade negativa, depressiva, sem ambições e esperanças futuras. Então se quiser reclamar, pelo menos resolva o motivo do seu descontentamento, senão, é tempo perdido para você e para todos os que lhe escutarem;
  • Evitar transferir a culpa: Admitir que erramos é difícil, traz constrangimentos, críticas, porém, pode nos ajudar a melhorar, a avançar e a evoluir. Fora que evita que outras pessoas paguem por nossos erros. Além disso, se não nos responsabilizamos pelo que fazemos, com certeza, em algum momento, seremos culpabilizados por coisas que não cometemos;
  • Não fingir saber algo que não sabe: Ninguém nasce sabendo tudo e nem tem obrigação. Porém, se mostrar como especialista de algo sem o sê-lo é irresponsável e pode trazer consequências graves. Se for analisar bem, verá que é mais chique admitir sua ignorância, mas mostrar vontade de aprender, do que se mostrar o “bacana” e falhar com as pessoas em momentos significativos;
  • Resolver suas pendências o mais rápido possível: Quem não gosta de deixar para amanhã o que pode ser resolvido hoje? De regime e exercícios, a resolver papeladas burocráticas, como pagar contas ou fazer a declaração de imposto de renda, parece que quanto mais adiamos, mais tempo de lazer teremos. Ledo engano! Se temos uma semana para realizar algo e deixamos para fazer no último dia, isso significa que ficaremos 6 dias nos cobrando mentalmente e, por isso, não relaxando de verdade;
  • Fazer sua parte: Parece simples, mas não é. Fazer sua parte não é só pagar contas, não roubar, não matar e viver uma vida “honesta”. Fazer sua parte é se sentir integrante do Todo e, assim, se interessar por este Todo. É não poluir o planeta, produzir barulho, contribuir com a corrupção, é não patrocinar produtos ou programas de tv maléficos, é não fica passivo frente aos acontecimentos, etc.
  • Evitar a hipocrisia: Na hora de criticar, de chamar atenção ou falar mal das pessoas, a gente se esquece das nossas falhas e comete uma grande gafe, que é a da hipocrisia. Ou seja, eu falo mal de quem joga lixo na rua, mas não reciclo meu lixo, reclamo da pessoa que para na vaga de deficiente, mas burlo uma entrada gratuita em lugares, usando carteirinha falsa, esquemas ou meu crachá, falo que a programação da TV é uma porcaria, mas não desligo e vou ler um livro ou passear no parque, por exemplo;
  • Ter consciência na hora de tomar decisões: Muito do que a gente decide vem de supetão, de forma irrefletida ou muito emocional. Assim, terminamos relacionamentos, sem ter parado de fato para entender o problema, saímos de empregos bons por obstinação ou orgulho, abrimos mão de grandes oportunidades por distração….Uma coisa é certa, se você não está prestando atenção na Vida, ela não vai prestar a dela em você;
  • Ser íntegro: Integridade é ser coerente consigo mesmo. É não comprar algo porque “todos estão comprando”. É não falar que concorda ou discorda de algo porque “a maioria pensa assim”. Ou seja, é ter o próprio estilo, é seguir a profissão que ama, é ficar com quem complementa você, mesmo que não seja a pessoa mais rica e bonita do mundo, é ser fiel aos seus princípios;
  • Buscar a paz: Enquanto grande parte do mundo quer movimentar uma discussão, “não levar desaforo para casa”, brigar por causa de religião, futebol, política ou ciúmes, poder e dinheiro, você pode simplesmente promover a paz, o entendimento, a flexibilidade, a compreensão. Mesmo que achem que você é tolo ou que esteja perdendo algo com isso, são exemplos de paz que irão realmente revolucionar o mundo. Afinal, criar conflitos sem razão de ser não é o mesmo que ser pró-ativo;
  • Valorizar as coisas boas: Geralmente quem reclama são os mais ingratos. Focam tanto no que falta, que o que têm nunca é suficiente. Assim, não importa se estejam bem financeiramente, se possuem um companheiro e filhos, se estão realizados no trabalho, estarão sempre dizendo que a casa que moram não é boa, que a pessoa com quem estão está cheia de defeitos, que não ganha o que queria no trabalho, etc. Valorizar o que você já tem de bom não é ser passivo nem conformista. É se manter feliz com seu presente, confiante que por já ter alcançado isso, a vida continuará lhe oferecendo mais oportunidades de progredir.
Tags deste artigo: , , ,

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!