Vanessa Mazza


1

Dia 21/12 e o suposto fim do mundo

Vanessa Mazza 20 de novembro de 2012

Tanto se especulou sobre o Calendário Maia e o suposto fim do mundo em 21 de dezembro deste ano que até filmes e documentários foram lançados e inúmeros livros publicados, sem, no entanto, chegarem a nenhuma conclusão válida.

Como consequência disso, pudemos observar ao longo desse tempo várias pessoas tomando decisões, baseadas em tantas teorias negativistas, e se precavendo contra todo tipo de cataclismo. Assim, tem aqueles que estocam comida e água por aí, outros que abandonaram a civilização para se acostumarem a um estilo de vida mais simples, no qual a tecnologia não faça parte, até pessoas que se preparam para uma onda de violência generalizada, na qual terá que se lutar por itens de necessidade básica, entre outros.

Porém, por que temos que sempre acreditar no pior desfecho? Afinal, para mim, o pior simplesmente já passou. Em outras palavras: estamos vivendo o final do mundo faz tempo e, a partir de agora, a tendência é apenas voltarmos ao equilíbrio.

Digo isso porque é muito natural que não tenhamos noção da realidade que vivemos, justamente por estarmos inseridos nela. Desse modo, quando olhamos o passado, percebemos padrões na História e o que realmente foi relevante, mas quem vivia naquela época, provavelmente não abarcava a dimensão de seu presente. Por isso, imagino que nossa época seja vista no futuro como um tempo de grandes destruições naturais, conflitos entre povos, fome e doenças generalizadas, violência urbana e uma grande falta de fé na vida e de amor próprio.

Basta se perguntar: o que temos de fato no mundo atualmente? Não é o que estamos vendo diariamente nos meios de comunicação? É claro que existe muita coisa boa acontecendo neste momento. Porém, de forma global, é patente que não precisamos esperar um cometa destruidor, nem a terceira guerra mundial para sofrer os efeitos de nossas próprias misérias.

Portanto, o fim do mundo está aqui, na sua casa e em todos lugares e o único jeito de fugir dele é mudando a forma como pensamos e agimos. Afinal, como estamos todos conectados, nossas ações influenciam o meio em que vivemos e, de, exemplo em exemplo, podemos transformar nossa realidade para melhor.

Então, que tal colocar em prática algumas mudanças para salvar nosso mundo?

– Reciclar pode não ser muito significativo se só você fizer, mas seu exemplo pode influenciar outras pessoas e se tornar um hábito geral;

– Manter-se saudável ajuda a diminuir a sobrecarga de hospitais, para isso, adote hábitos melhores e lembre-se que a doença não surge do nada, ela é causada pela nossa negligência;

– Parte da violência é gerada pelo consumo/venda de drogas, pense nisso antes de consumir;

– Se os políticos são ruins, lembre que somos nós quem votamos neles e depois não acompanhamos suas ações, nem cobramos resultados;

– Diminua o consumo de carnes de todos os tipos e de laticínios. Isso ajuda a preservar as florestas e rios, faz bem para seu organismo, pois evita doenças graves como colesterol, ataques cardíacos, obesidade, infecções, câncer, etc, além de ajudarmos os animais;

– Consuma mais orgânicos, assim, o mercado fica aquecido, o preço diminui e a disponibilidade aumenta;

– Se puder trabalhar em casa, faça, pois assim, teremos menos trânsito;

– Evite consumir coisas com tantas embalagens, pois tudo isso vira lixo;

– Não fique toda hora reclamando da vida, citando acidentes, temendo a violência, pois isso só atrai essas coisas para você e desanima aqueles com os quais convive;

Estes são apenas alguns exemplos, dentre muitos. Por isso, pense em tudo aquilo de ruim que existe hoje no mundo e qual é sua parcela de responsabilidade. Você verá que as verdadeiras mudanças sempre acontecem de dentro para fora. Isso vale tanto para o nosso comportamento, quanto para o de uma sociedade inteira.

Então, não espere mais o final do mundo para mudar!

Tags deste artigo: , , , ,

Comments (1)

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!