Vanessa Mazza


0

Não seja infantil!

Vanessa Mazza 9 de fevereiro de 2012

É possível que dizer que a maioria dos adultos atuais não estão completamente maduros no sentido psicológico. Mesmo sem ter um estudo científico de base para comprovar esta afirmação, penso que o senso comum e a observação sejam suficientes para percebemos a quantidade de conflitos e problemas que geramos no nosso dia a dia por causa de “malcriações”, “emburramentos”, “chantagens emocionais”, “birras” e “melodramas”, todas ações típicas da criança que quer chamar a atenção para fazer exatamente aquilo que deseja, em detrimento da vontade dos outros ou daquilo que realmente é o justo e bom.

É claro que, por sermos adultos, temos uma noção mais clara de nossas ações e às vezes voltamos à razão e compreendemos nosso meio e as necessidades alheias, coisa que ainda é bastante nebulosa para uma criança. Porém, isso não nos impede de muitas vezes nos vermos presos neste tipo de comportamento infantil que só gera rusgas nas relações e acumula inconvenientes pelo caminho.

Por que será que isso acontece? Será que por sermos criados por adultos-crianças, acabamos perdendo a capacidade de amadurecermos verdadeiramente? E, afinal, o que é ser maduro?

Acredito que tal como a fruta se torna plena de si mesma no momento em que se torna madura, assim nós devemos ser: completos, realizados, conscientes de nós mesmos, prontos para simplesmente cair da árvore, sem medos, apegos ou receios. Ser infantil é o mesmo que continuar preso ao galho, com medo de explorar o que está além. É sentir que se precisa ser apoiado o tempo todo, que não está pronto para a vida ainda. É como se, mesmo sendo adultos, não quiséssemos arcar com todas as responsabilidades e riscos que isso implica. Não é a toa que tantos adultos voltam a morar com os pais tão logo algo dê errado.

Por isso, se você se sente como uma dessas crianças desprotegidas, chegou o momento de crescer. Afinal, se não nos tornamos maduros, ficamos incompletos, não utilizamos nossa capacidade máxima, nem todos nossos talentos. Se você quiser mais da vida do que apenas choramingos, chegou a hora de parar de pedir colo e enfrentar o que a vida lhe propõe. Afinal, estamos perdendo muito mais por não explorar o desconhecido, que nos tornaria livres, do que supostamente protegidos numa situação aparentemente confortável de dependência emocional, que nos torna fracos.

Tags deste artigo: ,

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!