Vanessa Mazza


0

Não deixe os vampiros lhe sugarem!

Vanessa Mazza 17 de janeiro de 2012

A origem do mito dos vampiros é desconhecida, mas é certo que houve uma mudança no modo como os enxergamos nos últimos séculos. De terríveis e temíveis monstros, atualmente há muitos que os veem como sofredores, belos e idealistas, representados nos romances de Anne Rice e nos da série Crepúsculo. De todo modo, existindo ou não materialmente falando, é certo que os vampiros causam mais mal que bem, principalmente se entendermos que vampiro é todo aquele que suga nossa energia vital, muito bem representada nas histórias pelo sangue. De fato, este líquido vermelho, quente e precioso ao nosso organismo, é símbolo de nossa alegria de viver, de nossa auto-estima, de nossa vitalidade. Neste sentido, uma pessoa não precisa necessariamente nos morder para extrai-lo de nós. Basta que se aproxime e nos deseje mal, inveje ou queira de alguma forma nos controlar ou chamar nossa atenção. Entretanto, não é preciso que esta pessoa seja mal-intencionada para nos atingir. Na maioria das vezes ela é inconsciente de seu próprio vampirismo. De todo modo, não se pode afirmar que somos vítimas delas. Pois, assim como nos contos, nós permitimos sua aproximação, geralmente por estarmos distraídos, inconscientes. O fato é que, quando uma pessoa vampira está perto de nós, nos sentimos exaustos, perdemos a paciência, ficamos irritadiços, a tristeza nos consome, assim como a falta de motivação. No fim, a sensação que temos na maioria das vezes é um grande desejo de fuga.

Por isso, veja alguns tipos de vampiros e saiba como se defender. Porém, lembre-se que muitos deles estão entre nossos parentes e amigos mais íntimos:

Intervencionista: É aquele que intervem em tudo aquilo que você faz e de alguma maneira lhe vigia. Você precisa se justificar a cada pequena ação e sente que perde a privacidade com esta pessoa. A melhor solução é não abrir muito espaço, nem dar detalhes demais. Mude o assunto rapidamente e se mostre ocupado.

Opinioso: É aquele que tem opinião sobre tudo, mas que você sente que não sabe de nada. Quer apenas provar que está bem informado e lhe prende em argumentações longas e vazias. Simplesmente não leve à sério e não se irrite. É melhor que ele pense que você é idiota e lhe troque por outro alvo.

Crítico: É aquele que reclama de tudo e que nunca está satisfeito com nada. Inclusive se você o convida, provavelmente falará mal do restaurante onde você o levou, dirá que a comida não foi preparada adequadamente, etc e quererá dar a falsa impressão de que você não tem culpa, mas você sabe que no fundo é o que ele quer dizer. Já que ele vai reclamar mesmo, não se esmere muito. Quem sabe assim ele não se afaste?

Lamurioso: Tudo é um grande sofrimento para ele. Tudo o leva às lágrimas. Todos ao redor dele sofrem demais. A vida é um eterno martírio. Então, não se contamine com essas lamúrias e não se comova, nem peça detalhes. Se não tiver platéia, não há espetáculo.

Pessimista: É aquele que está sempre lhe pedindo conselhos e toda vez que você o faz, mostra que não dará certo ou que existem energias fatalistas que o impedem de ser bem-sucedido. Mesmo sem ver esta pessoa um tempo, você verá que está sempre com o mesmo problema. Por isso, não gaste seu tempo tentando convencer esta pessoa do óbvio. Ela quer apenas chamar atenção. Afinal, sabe que, se melhorar, não precisará mais de ninguém e não terá mais como ficar sendo o centro das atenções.

Fofoqueiro: É aquele que vem lhe contar sobre tudo e todos sem que você peça, lhe revelando detalhes íntimos desagradáveis, como doenças sérias ou situações embaraçosas que, se tivessem acontecido com você, teriam lhe trazido grande vergonha. O importante é não perguntar, nem se mostrar interessado, trocando sempre de assunto, principalmente falando de coisas boas e alegres ou distraindo a pessoa com outros afazeres.

Sedutor: É aquela pessoa que, mesmo você sendo claro e direto, não entende que você não está interessado e fica lhe perseguindo, ligando, convidando para sair, acreditando que você está se fazendo de difícil. O problema é que muitas vezes prejudica seus relacionamentos verdadeiros, querendo dar a impressão de que você está com dúvida ou está mantendo um caso secreto. Fuja dessa pessoa, mude de telefone, evite amigos em comum e, no pior das hipóteses, chame a polícia.

Irritadiço: É aquela pessoa estourada, que arruma briga com todo mundo, que perde a paciência com besteiras, que quebra objetos, que faz escândalo na rua, que implica com os outros porque o olharam “torto”, etc. Se isso acontece com muita frequência, é melhor aconselhar um tratamento e, se a pessoa se recusar, simplesmente se afastar dela, pois quem atrai violência para si mesmo, faz com quem conviva com ela também seja atingido.

Indeciso: É aquele que nunca resolve nada na vida e que depende de você para tudo. Não tem opinião própria, não sugere nem propõe nada. É como um peso morto na sua vida. Por isso, é preciso parar de ter pena e deixá-lo sozinho para resolver, pois, quando a necessidade aparece, a pessoa se vira. Não carregue ninguém nas costas. Você já tem sua vida para dar conta.

Depressivo: É aquele que fica prostrado na cama, que não sai de casa, que fica no sofá o dia inteiro, que fala que vai morrer o tempo todo e que fica lhe ligando para fazer companhia, pequenos favores, para limpar a casa. Tome muito cuidado com esta pessoa. Com a desculpa do futuro suicídio, ela continua vivendo à base da sua energia. Esta pessoa precisa de profissionais, não de você.

Tags deste artigo: , ,

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!