Vanessa Mazza


0

Por que sigo a linha terapêutica e não a divinatória

Vanessa Mazza 16 de outubro de 2010

Muitos me procuram para fazer a consulta de tarô esperando determinadas coisas, com as quais se acostumaram a ver ou na televisão ou se consultando com outros tarólogos (ou seriam cartomantes?).

Uma delas é a questão da previsão. Obviamente, toda consulta de tarô implica numa previsão no sentido em que o tempo, tal como o concebemos ,não é algo fechado e linear. O tempo, na verdade,  é bastante difícil de se definir quando nos desapegarmos dos relógios e calendários.

Então, quando olho a situação de uma pessoa hoje, as implicações e consequências de seus atos são evidentes, por isso, é possível “prever” com acerto os rumos que as coisas darão. Porém, o objetivo não é apenas prever o futuro e sim modificar o presente. É um estudo ampliado de nossa realidade para que possamos tomar as melhores decisões.

Imagine que você é uma pessoa andando numa floresta e que em dado momento se perdeu. Então, você encontra o tarólogo que lhe leva por alguns instantes ao topo de uma montanha. Lá você consegue visualizar onde você estava, para onde estava indo e assim, confirmar se estava ou não no rumo certo. Você verá muitas vezes que o caminho que empreendia estava lhe levando para um pântano ou um desvio que lhe atrasaria a vida. Esse era o seu futuro “certo” até antes da consulta. Vendo as possibilidades, você começa a repensar suas ações, traçando novos rumos. Neste instante, utilizando seu livre-arbítrio, você modifica seu futuro.

Por isso que a linha terapêutica é mais eficiente e promove a evolução pessoal, enquanto que a divinatória seria o mesmo que, ao estar perdido na floresta, você encontrasse o tarólogo e sem que este lhe elevasse até o topo da montanha, apenas lhe dissesse em tom fatalista: “você irá afundar num pântano escuro, onde ficará por alguns meses…eventualmente, quando escapar, achará o caminho certo”. Podemos dizer que ele está mentindo? Claro que não…de fato, continuando naquele rumo, seria isto que encontraria. Mas então, qual seria o objetivo prático e positivo desta consulta?

Para explicar estas questões de maneira ainda melhor, veja os vídeos de Veet Pramad abaixo, com quem aprendi algumas das minha técnicas utilizadas atualmente:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=Zw17VY5atNE]

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=qpsBJHm0Hf8]

Tags deste artigo:

Deixe um Comentário

Login to your account

Can't remember your Password ?

Register for this site!